Arquivo para novembro, 2012


Alemanha. A Emergência de uma grande potência

Parte 1

 

Parte 2

Efeito Estufa

 

El Niño e La Niña

 

Buraco na Camada de Ozônio

 

Inversão Térmica

 

Chuvas Ácidas

COMPREENDENDO CONTEÚDOS

1. Porque o Reino Unido foi o primeiro país do mundo a se industrializar? E por que vem perdendo terreno como potência industrial?
O Reino Unido foi o primeiro país a se industrializar por que foi nele, pela primeira vez na História, que se reuniram as condições fundamentais para a eclosão do processo de industrialização tais como: maior acúmulo
de capitais durante o Capitalismo Comercial; consolidação precoce da burguesia no poder, pois foi a primeira Monarquia Parlamentarista da História; desenvolvimentos dos principais avanços tecnológicos da época;
disponibilidade de grandes jazidas carboníferas; abundância de mão de obra por conta das Leis de Cercamento. O país tem perdido terreno para outras potências industriais, principalmente no pós Segunda Guerra
Mundial, porque não conseguiu acompanhar o acelerado ritmo de inovações tecnológicas introduzidos no processo produtivo, que elevou o nível de produtividade e competitividade de países como Japão, Estados
Unidos e a Alemanha. Como consequência disso, seu crescimento econômico diminuiu e em 2008, era a sexta economia do mundo, atrás dos outros países mencionados acima e da China, atualmente ocupa a sétima
posição, atrás do Brasil.

2. Quais são as principais regiões industriais do Reino Unido? As regiões carboníferas continuam importantes?
As principais regiões aparecem no Centro-Sul da Grã-Bretanha, especialmente no eixo Grande Londres-Grande Birmingham. As antigas regiões carboníferas passaram por um processo de desindustrialização e
perderam importância, principalmente com a descoberta de novas fontes energéticas, primordiais para as novas indústrias. Dessa forma, houve um deslocamento industrial em direção so Sul da Grã-Bretanha. Setores
industriais como o têxtil, o siderúrgico e o naval, praticamente deixaram de existir, dando lugar a indústrias mais dinâmicas e tecnológicas como: informática, biotecnologia, farmacêutica, dentre outras.

3. Quais os principais fatores que colaboraram para a industrialização norte-americana?
Uma combinação de fatores de ordem política, social, econômica, cultural e natural explicam a industrialização dos Estados Unidos, concentrada inicialmente no Nordeste do país: a hegemonia política e econômica do
modelo de sociedade das colônias do Norte da Nova Inglaterra; a vitória da burguesia industrial Nortista após a Guerra da Secessão; leis que favoreceram a entrada de imigrantes, que se tornaram que se tornaram uma
ampla reserva de mão de obra e um amplo mercado consumidor; disponibilidade de minérios e combustíveis fósseis; fortalecimento da ética diferenciada de trabalho capitalista na população por conta do
protestantismo; facilidade de escoamento da produção pelos Grandes Lagos; cursos de rios que favoreciam maior energia e maior produção industrial; aprimoramento das fábricas por inovações dos modelos
britânicos; não importância dada as colônias nortistas pela Metrópole no início do seu desenvolvimento; entre outros fatores.

4. Onde se localizam as maiores concentrações industriais dos Estados Unidos? Por que, após a Segunda Guerra, houve uma desconcentração espacial do parque industrial?
Estão na região Nordeste do país, desde a costa litorânea até o Sul dos Grandes Lagos, numa região conhecida como manufacturing belt. Apesar da descentralização recente, essa ainda é a região mais industrializada
dos Estados Unidos.
Com o exagerado crescimento das megalópoles do nordeste estadunidense, gradativamente foi havendo uma elevação dos custos gerais de produção. A desconcentração no pós-guerra foi uma tentativa de baixar os
custos de produção, garantindo, portanto, maiores lucros. As regiões que mais se beneficiaram dessa tendência foram o Sul e o Oeste.

5. Qual o tecnopolo mais importante dos Estados Unidos? Que fatores contribuiram para o seu desenvolvimente e quais os setores mais importantes nele instalados?
O tecnopolo mais importante é o Vale do Silício, localizado no norte da Califórnia. O grande impulso para seu desenvolvimento se deu durante a Guerra Fria, devido a corrida armamentista e aeroespacial. Foram as
indústrias eletrônicas da região que forneceram os transistores e circuitos integrados para computadores e foguetes do programa espacial. Nos anos de 1950, a criação do Stanford Industrial Park, teve um importante
papel para o desenvolvimento desse parque tecnológico, pois atraiu indústrias de alta tecnologia, principalmente do setor da informática. Desde o início essas indústrias estiveram ligadas a Universidade de Stanford e
posteriormente as demais universidades da região. Foi graças a esses pesquisadores que o Vale do Silício se tornou o maior tecnopolo mundial, especialmente nos setores de microeletrônica, informática e
biotecnologia.

6. O que vem acontecendo nas últimas décadas com a participação da economia dos Estados Unidos no PIB mundial? Explique
Desde o final da Segunda Guerra Mundial os Estados Unidos se mantém com o maior PIB, ou seja, como maior economia mundial. Entretanto com o crescimento mais rápido de outros países desenvolvidos como Japão
e a Alemanha e mais recentemente os emergentes do BRIC, sua participação mundial vem caindo. Por exemplo, durante os anos de 1950 a economia estadunidense era 12 vezes maior que a japonesa, já em 2007, era
apenas 3 vezes maior aproximadamente.

DESENVOLVENDO HABILIDADES

1. Com base nas informações disponíveis no boxe da página 146, analise a evolução do consumo de energia no Reino Unido e sua possível relação com a questão ambiental.
O consumo do petróleo no Reino Unido caiu de 1970 para 1990 e a partir de então aumentou, retornando ao patamar de 1970. Desde então, houve uma queda muito acentuada na participação do carvão no consumo
total de energia e um aumento do consumo de eletricidade e gás natural. Praticamente todas as minas de carvão se esgotaram e o país tem de importá-lo. Nas termelétricas houve a substituição do carvão pelo gás
natural, menos poluente. Houve também expansão das usinas nucleares. A participação de fontes alternativas de energia é pequena, mas tem um destaque para a produção eólica.
No período retratado, o PIB do país mais que dobrou, porém o aumento do consumo de energia foi de cerca de 6% apenas. De forma geral, essa tendência se verificou em todos os países desenvolvidos e em alguns
emergentes, pois não fosse essa redução relativa no consumo de energia os impactos ambientais seriam graves e economicamente prejudiciais.

2. Releia o texto a Importância de não nascer importante (página 151), de Eduardo Galeno. Relacione os argumentos constantes nesse texto com o trecho do livro Á ética protestante e o espírito do capitalismo:
“quando Deus, em cujas disposições o puritano via todos os acontecimentos da vida, aponta para um de Seus eleitos, uma oportunidade de lucro, este deve aproveitá-la com um propósito, e, consequentemente, o
cristão autêntico deve atender esse chamado, aproveitando a oportunidade que se lhe apresenta.” (WEBER, 1989, p. 116).
Explique a importância desses fatores históricos-culturais para o desenvolvimento capitalista dos Estados Unidos.
O fato das 13 colônias não terem muita importância para o Reino Unido fez com que essa metrópole exercesse um controle pouco rígido sobre a região, em comparação ao que fazia com suas demais colônias, pois não
tinham maior importância econômica ou suplementar para o Reino Unido. Isso foi importante, pelo fato de que acabou criando condições para a indepêndencia política e, posteriormente, para a industrialização dessa
região, principalmente as colônias do norte, que com o tempo se transformou na região mais importante do país.
Essas condições favoreceram a instauração de uma colônia de povoamento e os imigrantes que chegavam eram majoritariamente protestantes. Como indica Weber, as religiões protestantes criaram uma cultura
favorável ao desenvolvimento capitalista poque não condenavam moralmente o lucro e a acumulação de capitais.

COMPREENDENDO CONTEÚDOS

1. O que é indústria? Como as indústrias são mais comumente classificadas?
Segundo o Dicionário de Economia do século XXI, indústria é o “conjunto de atividades produtivas que se caracterizam pela trnasformação de matérias-primas, de modo manual ou com o auxílio de máquinas e
ferramentas, no sentido de fabricar mercadorias”. As indústrias são comumente divididas em indústrias extrativas, de transformação e de construção civil. As de transformação são divididas em três categorias,
segundo os bens produzidos: indústrias de bens de capital – que equipam as indústrias em geral, agricultura, serviços e infraestrutura – como máquinas e equipamentos; indústrias de bens intermediários – fabricam
produtos semiacabados para serem usados pelas outras indústrias – como é o caso das siderúrgicas, petroquímicas, dentre outras; indústrias de bens de consumo – indústrias leves, produzindo os produtos para
mercado consumidor final, dispersas espacialmente – não-duráveis (alimentos, bebidas, etc), semiduráveis (vestuário, calçados, etc) ou duráveis (eletrodomésticos, automóveis, etc).

2. O que são fatores locacionais? Eles têm o mesmo peso para todo tipo de indústria? Justifique.
Fatores locacionais são as variáveis naturais, políticas, sociais e econômicas que viabilizam a instalação de indústrias em um determinado lugar do território de um país.
Para cada tipo de indústria teremos um fator locacional que terá maior ou menos importância para sua produção, sempre buscando-se dessa forma agilidade em todo processo de fabricação e venda dos produtos e a
maximização dos lucros obtidos.

3. Atualmente, como se dá o processo de desconcentração industrial no espaço geográfico nacional e mundial?
Com a elevação dos custos de produção nas regiões de industrialização antiga, os investidores tem buscado instalar novas fábricas em lugares onde os custos de produção são menores e o lucros, portanto, maiores,
seja no interior de um mesmo país ou em outro país. A desconcentração explica-se pela busca de regiões que ofereçam uma infraestrutura melhor, salários relativamente mais baixos, terrenos mais baratos e impostos
menores, dentre outros fatores. Deve se lembra que o processo de desconcentração industrial viabilizou-se graças a acelerada modernização ocorrida nos transportes e nas telecomunicações, fruto das inovações
tecnológicas e elas ocorrem em escala nacional e mundial.

4. O que é um parque tecnológico? Apresente os fatores locacionais mais importantes para explicar seu desenvolvimento num determinado lugar do território de um país.
Representam a Geografia Industrial da Revolução Técnico-Científica, cujo o fator de produção mais importante é o conhecimento. Esses parques, em geral, se desenvolvem em torno de universidades e centros de
pesquisa, muitas vezes no interior do próprio campus da universidade, porque ai estão os fatores locacionais mais importantes para as indústrias que nele se instalam: produção de conhecimentos e tecnologias; mão
de obra altamente qualificada.

5. Explique as diferenças mais importantes entre a produção fordista e a produção flexível.
A produção fordista foi implantada inicialmente por Henry Ford em sua fábrica em Michigan, Estados Unidos, a partir de 1913, daí o nome desse processo de produção. Está baseada na produção em larga escala
(grandes estoques de um mesmo produto) e na acentuada divisão do trabalho no interior da fábrica (funcionários especializados). Nessas fábricas há uma rígida hierarquia, na qual os trabalhadores não tem nenhuma
autonomia e o controle de qualidade era feito somente no final do processo de produção (final da esteira de produção), o que permitia passar muitos defeitos e havia muito desperdício. Essa produção necessitada de
elevado estoque de insumos, exigindo enormes armazéns, elevando os custos de produção. Esse processo funcionou bem até os anos de 1970, quando as indústrias mais modernas começaram a substituílo pelo
Toyotismo (produção flexível).
A produção flexível foi produzida pelo engenheiro japonês Taichii Ohno e começou a ser implantada na fábrica da Toyota no Japão no final dos anos de 1950. Está baseado em uma produção com grande diversidade dos
modelos fabricados no just in time (produção na hora certa). A hierarquia é diferenciada e todos os trabalhadores são multifuncionais, organizados em Círculos de Controle de Qualidade (CQQ), de forma que eles
mesmos são responsáveis pelo controle da qualidade dos produtos e dos desperdícios e também pela detecção dos defeitos ao longo do processo. Os funcionários são mais qualificados e encontram nesse sistema a
possibilidade de ascensão funcional de acordo com sua competência profissional. Por conta do just in time, praticamente não há formação de estoques e necessidades de armazéns, podendo funcionar em espaços
menores, diminuindo os custos e aumentando a produtividade. Em todo o mundo, nos setores industriais mais avançados, predomina o toyotismo, deixando o fordismo como sistema de produção apenas em poucas
indústrias localizadas em países subdesenvolvidos.

DESENVOLVENDO HABILIDADES

1. Análise a tabela Índice de competitividade industrial e participação da indústria no PIB em países selecionados (página 123) e responda:
a) Qual o país apresenta a maior participação percentual do setor industrial no PIB? E a menor?
De acordo com os dados da tabela, o país que apresenta maior participação do setor industrial no PIB é a Arábia Saudita (65%) e a menor, a Etiópia (13%).

b) Calcule o valor da produção industrial do país que apresentou a maior participação percentual das atividades secundárias no PIB. Esse país é o que apresenta, no mundo, a maior produção industrial em termos
absolutos? Caso não seja, qual é?
Em 2007, o valor da produção industrial da Arábia Saudita era de 248 bilhões de dólares. Entretanto, no mundo, o maior valor da produção industrial, em termos absolutos era dos Estados Unidos (3.025 bilhões de
dólares). Apesar da indústria estadunidense ter uma participação no PIB pequena (22%), como o Produto Interno Bruto do país é elevado, o valor absoluto é muito grande.

c) Por que a participação da indústria no PIB, isoladamente, não capta como está organizado o setor industrial de um país? Que indicador mais completo pode ser usado em lugar desse dado? Descreva-o.
Porque a participação da indústria no PIB não determina os setores existentes no país, se o parque fabril é tecnologicamente avançado, se é produtivo e competitivo, se os produtos tem alto valor agregado, dentre
outros fatores. Dessa forma o indicador de atividade industrial da UNIDO é mais completo, pois capta outras variáveis.
Esse indicador é composto de quatro dimensões: a) capacidade industrial, medido pelo valor industrial agregado per capita; b) capacidade de exportação dos produtos industrializados, medida pela exportação de
maquinofaturados; c) intensidade de industrialização, medida pela participação do setor industrial no PIB e de produtos de alta e média tecnologia no valor industrial agregado; d) qualidade da exportação, medida
pela participação dos produtos industrializados e dos bens de alta e média tecnologia no total de exportações.

COMPREENDENDO CONTEÚDOS

1. Qual a diferença entre tempo e clima.
Tempo é o estado momentâneo da atmosfera em determinado lugar, com suas condições de temperatura, umidade e pressão específicos, podendo variar no intervalo de poucas horas ou em instantes. Já o Clima é o
comportamento médio do tempo em um determinado lugar durante um longo período, de pelo menos 30 anos.

2. Explique a influência da latitude e da altitude no clima.
Quanto maior a latitude, menores são as temperaturas médias anuais, pois temos uma menor taxa de insolação, consequentemente, menor quantidade de calor. Por outro lado, quanto menor a latitude, maiores são
as temperaturas, pois temos uma maior taxa de insolação, consequentemente, maior quantidade de calor.

Como o ar atmosférico se aquece principalmente pela irradiação de calor pela superfície do solo terrestre, quanto maior a altitude, menores serão as temperaturas médias anuais. Por outro lado, quanto menor a
altitude de um lugar, maiores são as temperaturas médias anuais, pois teremos maior quantidade de calor perto da superfície do solo.

3. Qual é a influência das massas de ar no clima?
A ação diferenciada das massas de ar ao longo do ano é um dos fatores que explicam a variação do comportamento do tempo de determinada localidade.
Ex.: em Manaus é quente e úmido no decorrer do ano, porque no decorrer do ano só atuam massas de ar quente e úmida. Já na região Sul do país, o verão é quente e úmido por conta da massa de ar quente e úmida
que atua (mTa – massa tropical atlântica) e o inverno é frio e úmido, por conta das características da massa de ar atuante fria e úmida (mPa – massa polar atlântica) que atua nas diferentes épocas do ano.

4. Relacione as massas de ar com as características do clima no território brasileiro.
No Brasil temos a atuação de duas massas de ar equatoriais quentes e úmidas (mEc – massa equatorial continental e a mEa – massa equatorial atlântica), uma massa tropical úmida (mTa – massa tropical atlântica), uma
massa de ar seca (mTc – massa tropicall continental) e uma polar (mPa – massa polar atlântica) que é úmida em sua origem e perde essa característica ao se deslocar. Dessa forma, nosso território acaba possuindo uma
grande variação climática, com presença de diferentes comportamentos térmicos e pluviométricos ao longo do ano.

DESENVOLVENDO HABILIDADES

Observe novamente os climogramas de Porto Alegre e Brasília, na página 137, e responda, por escrito, as questões 1 e 2:

1. A que tipo de clima está associado cada gráfico?
Em Porto Alegre, temos um clima subtropical superúmido sem seca/subseca. Em Brasília, temos um clima tropical semiúmido, com 4 a 5 meses seco.

2. Compare o regime de chuvas nas duas localidades e responda:
a) Quais são os meses mais secos e os mais chuvosos em cada gráfico?
Em Porto Alegre as chuvas são bem distribuídas e no climograma referente temos agosto e setembro como os meses mais chuvosos e abril e maio como os menos chuvosos.
Em Brasília, temos um verão quente e chuvoso com destaque para os meses de janeiro, fevereiro, novembro e dezembro e um inverno ameno e seco, com destaque para os meses de maio, junho, julho e agosto.

b) Qual é, aproximadamente, o índice anual de chuvas em Porto Alegre? E em Brasília?
Porto Alegre – 1350mm.
Brasília – 1600mm.
Obs.: como é um valor aproximado a sua resposta deverá ter uma PEQUENA variação para mais ou menos desse valor.

3. Escolha dois climogramas presentes neste capítulo. Relacione-os com os mapas das classificações climáticas, compare o comportamento das médias mensais de temperatura nas duas localidades e responda:
a) Quais são os meses mais quentes e mais frios?
Os alunos deverão verificar quais os meses que possuem maior valor e os meses que possuem menor valor de TEMPERATURA.

b) Qual é a amplitude térmica anual em cada cidade?
Como a amplitude térmica é a variação em graus da maior e da menor temperatura, os alunos deverão pegar o maior valor e diminuir do menor valor de temperatura para terem uma noção dessa variação média ao
longo do ano.

c) Qual é o tipo de clima associado a cada uma delas? Descreva as características da temperatura e da umidade no inverno e no verão de cada um deles.
Os alunos deverão comparar o tipo de clima da localidade escolhida com suas características específicas, assim como indicar as médias de temperatura e precipitação das localidades escolhidas.

COMPREENDENDO CONTEÚDOS

1 – O que são e como se originam as formas de relevo?
São os desnivelamentos que ocorrem na superfície terrestre, desde terrenos planos até pequenas formas com pequena altitude ou cadeias de montanhas. Essas formas – sua fisionomia – originam-se a partir da ação de
agentes internos, assumindo as características atuais em decorrência da ação dos agentes externos.

2 – Qual a diferença entre estrutura e forma de relevo?
Estrutura – são as formações rochosas (litológicas ou geológicas) que acontecem sobre a superfície terrestre e são resultantes dos agentes internos ou endógenos, ou seja, resultam do tectonismo que movimentam as
placas e provocam dobramentos, terremotos ou vulcanismo.
Forma – são as transformações sofridas por essas formações rochosas, devido a atuação dos agentes exógenos que causam o intemperismo e a erosão das rochas, modelando as mesmas, dando-lhes novas formas, elas
agem então de forma contínua ao longo do tempo geológico.

3 – Defina planalto, planície e depressão.
Segundo Ab’Saber e Jurandyr Ross (classificação adotada atualmente, lembrando que o conceito de depressão foi elaborado por Ross):
Planaltos – áreas em que os processos de erosão superam os de sedimentação;
Planícies – área mais ou menos plana em que os processos de sedimentação superam os de erosão, independentemente das cotas altimétricas;
Depressão – relevo aplainado, rebaixado em relação so seu entorno, onde predominam processos de erosão.

4 – Caracterize o relevo brasileiro, segundo a classificação de Jurandyr Ross.
No terrítório brasileiro, os terrenos cristalinos possuem formação geológica antiga e estão bastante desgastados pela erosão. Já os terrenos sedimentares são de idades geológicas recentes. De modo geral, o território
apresenta altitudes modestas (ver mapa da pág. 98) e não existem cadeias montanhosas de formação recente

5 – O que é plataforma continental e qual a sua importância econômica?
É a região constituída da continuação da estrutura geológica continental (crosta continental) abaixo do nível do mar, com uma profundidade média de 200 metros, a estrutura geológica continental termina no talude,
com distância variável da costa. Essa região então recebe uma quantidade significativa de luz solar que propicia um maior desenvolvimento da vegetação marinha e espécies animais, favorecendo assim a pesca e em
algumas regiões temos também a exploração de petróleo e gás natural nas suas bacias sedimentares, como as Campos (RJ) e Santos (SP).

DESENVOLVENDO HABILIDADES

Leia novamente a página introdutória deste capítulo, observe as fotografias e responda, por escrito:

1. Como o relevo pode influenciar a organização e a distribuição de diversas atividades humanas? Dê exemplos.
Nessa pergunta, os alunos devem identificar alguma influência do relevo sobre as atividades econômicas nas fotos, seja no lugar onde moram ou em outros lugares que conheçam, descrevendo como se deu essa
influência. Ex.: atividades agrícolas, construção de hidrelétricas, vias de transporte, ocupação de encostas, vales e várzeas.

2. Com base no que você aprendeu neste capítulo e em seus conhecimentos, elabore uma hipótese para explicar de que forma o relevo condiciona o traçado e o custo de construção de rodovias e ferrovias.
Os alunos devem analisar o traçado de rodovias e ferrovias, descrevendo o porque de em regiões serranas possuem muitas curvas, subidas e descidas, não esquecendo de comparar com vias mais novas, que por conta
da tecnologia em alguns lugares temos a construção de pontes e túneis. Devem discorrer também sobre os custos menores de se construir em relevos planos, por não haver necessidade de construir pontes e túneis,
assim como permitir um traçado mais retilíneo, diminuindo as distâncias e o tempo de tráfego na via.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 152 outros seguidores