Category: Aulas


COMPREENDENDO CONTEÚDOS

1. Quais as características econômicas e políticas implantadas na União Soviética após a vitória dos bolcheviques?
Com a vitória dos bolcheviques, foi implantada uma ditadura de partido único, o Partido Comunista da União Soviética (PCUS). O poder estava concentrado nas mão do politburo composto po uma dirigente. O cargo mais importante na hierarquia de poder era o de secretário-geral do PCUS, cujo ocupante era indicado pelos membros do politburo. O poder também estava concentrado geograficamente. O centro de poder era o Kremlin, em Moscou (Rússia). A economia foi planificada e estatizada e montou-se uma gigantesca burocracia para controlá-la. O órgão máximo de planificação era a Gosplan.

2. Onde se localizam as principais concentrações industrias na Rússia? Relacione com os primeiros fatores locacionais.
As principais concentrações industriais na Rússia localizam-se na regiãode Moscou, capital do país, onde está o maior mercador consumidor e a maior concentração de mão de obra, com predominância de indústrias de bens de consumo, e na região dos Montes Urais, devido à grande disponibilidade de recursos minerais, com a predominância de indústrias de bens intermediários.

3. Em que setores da economia se encontram as maiores empresas da Rússia? Por quê?
As maiores empresas da Rússia atuam em exploração e processamento de recursos naturais, muito abundantes em seu vasto território. Entre as maiores empresas do país se destacam: Gazprom, Lukoil e Rosneft (extração e refino de petróleo, produção de gás natural, petroquímica); SeverStal e Evraz Group (mineração e siderurgia).

4. O que significa dizer que a China é uma “economia socialista de mercado”?
“Economia socialista de mercado” é a denominação dada pelos líderes chineses a um sistema que busca compatibilizar uma economia cada vez mais aberta aos investimentos estrangeiros e que, por isso, tem de conviver com a iniciativa privada e mesmo com a propriedade privada, mas que continua sob forte controle do Estado, que permanece sendo uma ditadura de partido único, o PCCh.

5. O que são zonas econômicas especiais e qual sua importância para a economia chinesa?
As zonas econômicas especiais são áreas do território chinês localizadas nas províncias litorâneas,onde os capitais estrangeiros têm ampla liberdade de atuação. Além delas há outras modalidades de abertura ao exterior como as cidades abertas e os portos abertos. O objetivo fundamental dessas diversas áreas abertas, espécies de enclaves capitalistas dentro do território chinês, é atrair empresas estrangeiras que levam capitais, tecnologia e experiência de gestão empresarial. Com isso, desde os anos 1990 o país tem se mantido quase sempre como o segundo maior receptor de investimentos produtivos do mundo, só atrás dos Estados Unidos.

6. Por que a China é a economia que mais cresce no mundo desde 1980? Liste algumas consequências para o país – sociais, econômicas e ambientais – desse rápido crescimento.
A China é a economia que mais cresce no mundo, devido aos maciços investimentos dos Estado e às vantagens que oferece aos capitais estrangeiros e nacionais, notadamente nas zonas econômicas especiais. Os custos de produção são muito baixos no país, portanto relativamente qualificada e disciplinada; aos incentivos fiscais concedidos pelo regime; as facilidades dadas aos exportadores; à boa infraestrutura; o baixo custo da terra, da energia, das matérias primas, entre outros fatores. Enquanto a China como um todo tem crescido a uma média de quase 10% ao ano desde o início da década de 1980, as zonas economicas especiais têm apresentado taxas maiores de crescimento. Esse enorme crescimento aumentou consideravelmente a participação chinesa no comércio mundial, bem como a riqueza nacional, mas também trouxe problemas. Aprofundou-se a desigualdade social e regional, o que estimulou a migraçao interna, aumento o desemprego nas regiões mais dinâmicas e colaborou para manter os salários em níveis muito baixos; além disso, aumentaram muito os impactos ambientais (por exemplo, algumas das cidades mais poluídas do mundo estão na China), com consequências graves para a população do país.
DESENVOLVENDO HABILIDADES

1. Releia o trecho do livro de Mikhail Gorbachev (pág. 187). Em seguida produza um texto explicando os motivos da crise que se abateu sobre a União Soviética a partir da década de 1970, agravada na década de 1980 e que acabou contribuindo para a fragmentação territorial do país. Explique também o que foi a perestroika e a glasnost.
Na década de 1970, as economias capitalistas desenvolvidas, movidas por acirrada competição, protagonizaram saltos tecnológicos, principalmente com a robótica e a informática, atingindo um elevado grau de produtividade e de competitividade. Com a Revolução Técnico-Científica, esses países, com destaque para os Estados Unidos, Japão e Alemanha, passaram a produzir bens cada vez mais sofisticados e baratos. Na União Soviética, a economia era planificada e estatizada,portanto, não concorrencial e cada vez mais burocratizada. Além disso, historicamente o país priorizou a indústria de base e o setor bélico e aeroespacial, não acompanhando os rápidos avanços atingidos pelos países capitalistas. Apresentava, portanto, uma crescente defasagem nos indicadores de produtividade e de qualidade dos produtos. A escassez de bens de consumo provocava enormes filas e a população reclamava da péssima qualidade dos bens a venda. Na década de 1980 a crise estava bem intensa,principalmente após a eleição de Ronald Reagan nos Estados Unidos, pois como ele elevou os gastos estadunidenses com setor bélico,levou a URSS a fazer o mesmo, agravando mais ainda a crise que atravessava. Isso obrigou Gorbatchev a negociar acordos de redução dos arsenais bélicos e implantar suas reformas (glasnost e perestroika), que por terem fracassado, acabaram contribuindo para a fragmentação político-territorial do país.

Perestroika (reestruturaçao) – designava um conjunto de medidas econômicas para reestruturar a defasada economia soviética, modernizando-a.
Glasnost (transparência) – conjunto de medidas de caratér político que visava desmontar o arcabouço ditatorial da União Soviética. Pode também ser chamada de abertura que visava uma transparência política que se demonstrou diferente das características de uma ditadura de partido único.

2. Leia o trecho do artigo da jornalista Cláudia Trevisan (pág. 204):

Identifique nos dados estatísticos disponíveis no capítulo, elementos que corroborem ou refutem a análise feita no artigo. Para obter mais elementos para sua reflexão, observe outra vez o valor das reservas chinesas nas tabelas Potencial dos países do BRIC e Principais detentores de bônus do Tesouro dos Estados Unidos (página 80 e 82).
Depois de crescer quase três décadas consecutivas a uma taxa média de 10% ao ano, a China emergiu como uma potência mundial no início do século XXI. Em 2008 o país era o terceiro PIB do mundo e atualmente o segundo maior, ficando atrás somente dos Estados Unidos.
De fato, há uma relação de interdependência entre a China e os Estados Unidos e, ao menos no futuro que se vislumbra, com base nos dados presentes, é muito difícil um enfrentamento entre as duas potências mundiais. A China depende muito dos Estados Unidos para vender seus produtos industrializados, assim como dos investimentos e tecnologias de empresas norte-americanas. Os Estados Unidos por outro lado dependem muito dos recursos chineses, assim como ela é seu maior credor. Portanto, é razoável concordar com Wang Yong quando afirma que a “crescente dependência econômica entre os dois países é um elemento que reduzirá a possibilidade de conflito”. Porém, vale lembrar que a história é dinâmica e não se pode prever como agirão os líderes chineses caso o país ultrapasse os Estados Unidos como potência econômica no futuro.

COMPREENDENDO CONTEÚDOS

1. Porque a grande arrancada industrial da Alemanha aconteceu a partir da unificação político-territorial de 1871?
Porque 1871 marcou a unificação político territorial da Alemanha, com a constituição do Segundo REich. A unificação territorial significou também a consolidação da integração econômica que na verdade já tinha começado em 1834, com a constituição da liga aduaneira Zoliverein. Constitui-se um mercado consumidor ampliado, sem barreiras para a circulação de produtos e capitais, com uma moeda única, uma política econômica válida para o território inteiro e uma legislação fiscal e trabalhista também única. Enfim, a unificação política criou condições econômicas para um grande processo de acumulação de capitais, que antes era dificultado pela fragmentação territorial.

2. Qual a principal razão para a Alemanha ter sido o pivô da Primeira e da Segunda Guerra? Que mudanças o território alemão sofreu após essas duas guerras?
Tanto na Primeira quanto na Segunda Guerra, a Alemanha foi o pivô dos conflitos mundiais pelo mesmo motivo. Ambas foram resultado do expansionismo alemão, com base na noção de “espaço vital” formulada por Ratzel. O Estado militarista alemão estava empenhado em conquistar os territórios necessários para viabilizar sua expansão capitalista, seu crescimento industrial e fortalecimento político. Após a Primeira Guerra, a Alemanha perdeus vastos territórios, como a Alsácia, a Lorena e o Sarre, para a França. Perdeu também territórios para a Polônia, com a criação do corredor polonês, isolando a Prússia Oriental. Além de perder territórios do próprio corpo do país, perdeu as poucas posses coloniais que tinha. A Segunda Guerra foi, em grande medida, uma revanche as imposições do Tratado de Versalhes, uma tentativa de ampliar a Alemanha que redundou em nova derrota e maiores perdas territoriais. Além disso, a Alemanha, depois de um período de administração interaliada, foi, em 1949, dividida em duas: RFA (República Federal Alemã) e RDA (República Democrática Alemã), a reunificação ocorreu somente em 1990.

3. Onde está concentrado o principal parque industrial alemão? Quais fatores explicam essa localização?
A maior concentração industrial da Alemanha encontra-se no estado de Renânia do Norte-Vestfália, nos vales do Reno e do Ruhr, onde se destacam cidades como Colônia, Dusseldorf, Dortmund, Essen, dentre outras. Os principais fatores que explicam essa locaçização industrial são: facilidade de escoamento da produção por hidrovias que desemboca no porto de Roterdã (Países Baixos); grande disponibilidade de carvão mineral no início do processo de industrialização; concentração populacional, constituindo reserva de mão de obra e mercado consumidor. Hoje a região dispõe de uma moderna logística e de importantes universidades e centros de pesquisa que sustentam o desenvolvimento de tecnopolos e de indústrias típicas da atual Revolução Técnico-científica.

4. Quais as principais causas da rápida recuperação japonesa no pós-guerra?
A intervenção norte-americana desempenhou um papel fundamental no processo de recuperação do Japão no pós-guerra, durante o processo de ocupação, impondo ais japoneses uma série de reformas de cunho modernizante, ao mesmo tempo que investia em torno de 2,5 bilhões de dólares (entre 1947 e 1950), a título de ajuda. Além disso, o país dispunha de numerosa mão-de-obra, barata e qualificada, que durante muito tempo foi bastante explorada, possibilitando altos lucros aos empresários japoneses. Paralelamente, o Estado investiu maciçamente em educação, pesquisa e desenvolvimento e infraestrutura, atuando ainda na economia como agente planejador. A reconstrução de fábricas e da infraestrutura em bases mais modernas permitiu, num curto período de tempo, um grande aumento da produtividade, principalmente através das “holdings” que se instalaram no país.

5. Qual é e onde se localiza o principal tecnopolo japonês? Explique seu desenvolvimento fazendo uma comparação com o Vale do Silício.
O principal tecnopolo japônes é a Cidade de Tsukuba, localizada a uns 60 quilômetros a nordeste de Tóquio. Sua implantação desde o início (anos 1960) ficou sob a responsabilidade do governo japonês, que ao longo dos anos 1970 e 1980 construiu diversos centros de pesquisa. Essa é a principal diferença em relação com o Vale do Silício, nos Estados Unidos: enquanto Tsukuba foi um projeto governamental, de início bancado totalmente pelo Estado japônes, o Vale do Silício foi, desde o início, um empreendimento privado, dominado por grandes corporações norte-americanas. Atualmente há em Tsukuba 55 institutos públicos e privados de educação e pesquisa em funcionamento. Desde meados dos anos 1980 muitas empresas privadas também têm instalado laboratórios de pesquisa nesse tecnopolo.

6. Como se explica a crise econômica japonesa a partir do início dos anos 1990? O país também foi atingido pela crise de 2008?
O grande acúmulo de riquezas no país provocou uma crescente especulação com ações, levando a enorme alta da Bolsa de Valores de Tóquio. Enquanto isso, os bancos japoneses fizeram grandes empréstimos sem critério, principalmente para o setor imobiliário, o que provocou grande especulação. Os preços dos imóveis no Japão subiram exageradamente, transformando-os nos mais altos do mundo. Essa bolha especulativa – financeira e imobiliária – estourou no início doa anos 1990. Os preços das ações e dos imóveis despencaram, fazendo a crise se propagar pela economia real. Os bancos, não tendo como receber dos devedores, não faziam novos empréstimos. Muitas empresas (indústrias, bancos, etc) foram a falência, levando o país a estagnação econômica. Aos longo dos anos 1990 o Japão teve um período de recessão econômica, alternando com anos de crescimento. Nos anos 2000, quando o país estava retomando o crescimento econômico, foi duramente atingido pela crise financeira que teve os Estados Unidos como epicentro.
DESENVOLVENDO HABILIDADES

1. Releia a afirmação retirada do ensaio Antropogeografia (pág 183), do geógrafo alemão Friederich Ratzel, publicada em 1882.
Com base na análise da geografia política do mundo contemporâneo, e considerando o caso da própria Alemanha e outros, como o do Japão, utilize argumentos para confirmar ou refutar a afirmação de Ratzel.
Hoje em dia a afirmação de Ratzel precisa ser relativizada. Embora sem desprezar o fato de que grande extensão territorial e elevada população são importantes atributos de poder, com o avanço tecnológico e a consolidação do sistema internacional, atualmente não é necessário mais controlar territórios para ter acesso a fontes de energia e de matérias-primas; pode-se obtê-los por meio do comércio internacional. A própria Alemanha perdeu territórios com o desdobramento da Segunda Guerra, mas hoje continua entre as maiores economias do mundo, apesar de não possuir recursos naturais suficientes, o país era o maior exportado do mundo em 2008. O Japão é outro país que perdeu territórios no pós-Guerra e em 2008 figurava como segunda maior economia e quarto maior exportador. Japão e Alemanha são militarmente fracos não porque têm territórios pequenos, mas porque foram derrotados na Segunda Guerra e acabaram ficando amarrados em alianças controladas pelos Estados Unidos. A China, apesar de possuir uma grande extensão territorial e figurar atualmente como segunda maior economia não é autossuficiente em energia e matérias-primas.

2. Observe o gráfico que mostra a estrutura das importações do Japão (pág 177) e a tabela que destaca os principais recursos minerais importados pelo país (pág 178).
Correlacione essa informações com as que constam no parágrafo a seguir, considerando os aspectos naturais, econômicos e tecnológicos envolvidos.

“De acordo com o Relatório de desenvolvimento industrial 2009, 94% da pauta de exportação do Japão compõem-se de bens industrializados, dos quais 82% de produtos de média e alta tecnologia.”

Que conclusões podem ser extraídas da correlação dessas informações?

O gráfico mostra que praticamente metade das importações do Japão (em valores) é composta por produtos primários. Segundo a tabela, o volume de petróleo, carvão mineral e minério de ferro, os principais produtos importados, é gigantesco. O Japão importa praticamente 100% desses recursos e de outras matérias-primas minerais e agrícolas. Essa enorme dependência da importação de produtos primários é decorrência da pequena extensão territorial do país. Portanto, há pouco espaço para a agricultura e não há grandes reservas de minerais metálicos e combustíveis fósseis. Em compensação, 94% de sua pauta de exportações compõem-se de produtos industrializados (82% de média e alta tecnologia). Ou seja, o Japão importa grandes quantidades de matérias-primas e de energia e as transforma em produtos industrializados, predominantemente de tecnologia avançada, que depois exporta. Seu parque industrial agrega valor aos recursos importados, incorpora trabalho qualificado e bem remunerado, tecnologia de ponta, e depois exporta os produtos transformados por um preço elevado, o que lhe garantiu historicamente superávits em sua balança comercial e desenvolvimento tecnológico.

COMPREENDENDO CONTEÚDOS

1. Porque as formações vegetais do planeta apresentam fisionomias diferenciadas? Dê exemplos.
As formações vegetais ao redor do planeta apresentam fisionomias diferentes porque seu desenvolvimento é reflexo da associação das condições naturais dominantes (em especial o clima, relevo e solo) que se
apresentam integradas de formas diferentes em cada espaço do planeta. Por exemplo: em áreas quentes e úmidas, encontramos densas florestas (latifoliadas e higrófilas), enquanto em áreas secas aparecem desertos
com vegetação xerófila.

2. Quais são os principais impactos ambientais provocados pelo desmatamento, sobretudo nas florestas tropicais?
Quando se retira a cobertura vegetal de qualquer região do planeta, a primeira consequência negativa é a destruição da biodiversidade, ou seja, da fauna e da flora, assim como a consequente destruição de frágeis
ecossistemas que viviam em equilíbrio. Isso é particularmente grave nas florestas tropicais, que são as mais ricas em biodiversidade e se encontram em regiões com muitas chuvas. Logo em seguida, ocorre a erosão do
solo que ficou exposto que fatalmente diminuirá a fertilidade do solo e o material transportado também se sedimenta no fundo de rios e lagos, assoreando-os, podendo causar enchentes, na medida que o leito dos
rios diminui.

3. Quais são as principais características das formações desérticas?
As formações vegetais dos desertos estão adaptadas a escassez de umidade, sendo, portanto xerófilas; sua distribuição é bem espaçada, deixando grande parte do solo exposto ao intemperismo físico.

4. Quais são os principais tipos de florestas? Descreva suas características gerais.
Os principais tipos de florestas são:
- florestas temperadas: floresta caducifólia que aparece em regiões de clima temperado, sendo que nas regiões que esse clima encontra-se mais frio temos uma vegetação acicufoliada bem homogênea.
- florestas pluviais tropicais: formação higrófila e latifoliada, muito heterogênea, apresentando grande biodiversidade, sendo típica de regiões com clima quente e úmido.

5. Por que o território brasileiro possui grande diversidade vegetal?
A grande diversidade das formações vegetais brasileiras é fruto da diferenciação encontrada nas condições físicas gerais do território, especialmente em termos de clima, relevo e solo.

DESENVOLVENDO HABILIDADES

Compare o mapa do Brasil: unidades climáticas [página 138] com o mapa Brasil: vegetação nativa [página 182] e responda por escrito: é possível estabelecermos relações entre eles? Quais?
Sim, é possível observar uma clara relação entre as condições climáticas e a vegetação nativa no território brasileiro. Nos climas equatorial e tropical úmido a vegetação original é floresta pluvial tropical (Floresta
Amazônica e Mata Atlântica); no clima semiárido, a caatinga; no clima tropical semiúmido o cerrado; no subtropical serrano a Mata de Araucária; no subtropical de planície, os campos.

COMPREENDENDO CONTEÚDOS

1. Como se dá o abastecimento de água de um rio? Como se formam as nascentes?
Os rios são abastecidos com a água da chuva (pluvial) ou do derretimento de neve (nival) e geleiras (glacial), tanto pela superfície quanto pelo escoamento de água através do subsolo. As nascentes dos rios formam-se quando o nível freático dos aquíferos atingem a superfície, escoando sua água superficialmente.

2. Defina bacia hidrográfica e rede de drenagem.
Bacia hidrográfica – são constituídas pelas vertentes do relevo e pela rede de drenagem do local.
Rede de drenagem – são formados por uma rede que engloba um rio principal, em conjunto com seus afluentes e subafluentes. Se a drenagem atinge o oceano é denominada exorréica, caso a água fique retida no interior do continente, é denominada endorréica.

3. O que é assoreamento? Quais as suas consequências?
Assoreamento é o preenchimento do leito dos rios, lagos e mares por sedimentos de qualquer natureza. Suas principais consequências são o aumento das superfícies de inundação e o comprometimento da navegabilidade.

4. Porque os rios, especialmente em trechos de planícies, possuem um leito maior e um leito menor? Mencione as consequências de não se levar em consideração esse fato na ocupação das várzeas de muitos rios, principalmente nas cidades.
Os rios apresentam uma variação na quantidade de água em seu leito ao longo do ano, chamada de regime do rio. O abastecimento dos rios pode está associado ao índice de chuvas ou de derretimento de neve e geleiras. Dessa forma, em períodos com maior derretimento ou precipitações os rios ocupam suas várzeas (áreas de inundação natural dos rios), ocupando o chamado leito maior e quando se tem uma diminuição desse quantitativo de precipitações e derretimentos, o rio estará ocupando apenas o seu leito menor (sua área de vazante).
A ocupação humana dessas zonas de várzeas agrava o problema das enchentes dos rios, principalmente nas cidades, onde grande parte dos solos são impermeabilizados e as águas escoam diretamente para dentro dos rios.

5. Quais são as principais formas de aproveitamento econômico dos rios brasileiros?
Devido a grande extensão do território e a sua complexa configuração os rios brasileiros podem ser utilizados com diferentes objetivos econômicos. Temos como principais aproveitamentos: irrigação agrícola, produção de hidreletricidade, transporte de cargas e passageiros, pesca, turismo e lazer.

DESENVOLVENDO HABILIDADES

1. Segundo o texto (Saneamento Básico), quais são as consequências sociais do lançamento de esgoto “in natura” nos rios, represas ou mar?
Segundo o texto, no Brasil 65% das internações hospitalares são causadas por doenças transmitidas pela água e, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), mais de 5 milhões de pessoas morrem por ano no mundo por esse mesmo motivo.

2. O desperdício e a poluição das águas podem comprometer o abastecimento domiciliar? Explique.
O desperdício e a poluição provocam redução na quantidade de água disponível, podendo comprometer, portanto, o abastecimento domiciliar; vale destacar, ainda, que nas grandes cidades é comum a necessidade de captar água a distâncias cada vez maiores, o que, juntamente com os gastos de tratamento, aumenta o valor das tarifas pagas pela população.

3. Que medidas simples podemos tomar em nosso dia a dia para economizar água?
EM RESPOSTA A ESSA PERGUNTA, os alunos podem indicar várias ações, entre elas: não usar mangueira para lavagem de quintais, não deixar a torneira aberta sem necessidade, não tomar banho de chuveiro demorado, usar equipamentos eficientes nas residências (por exemplo, descargas econômicas no banheiro), dentre outras práticas.

COMPREENDENDO CONTEÚDOS

1. Como se forma o fenômeno El Niño? Que consequências ele provoca no Brasil?
O El Niño forma-se com o aquecimento das águas do oceana Pacífico, o que provoca alteração da dinâmica das massas de ar em escala planetária. No brasil, esse fenômeno provoca a ação de uma massa de ar quente e úmida que corta o território no sentido noroeste-sudeste, desviando a massa equatorial continental e causando seca na região do semiárido nordestino e enchentes na região Sul e Sudeste. Além disso, o fenômeno também dificulta o deslocamento da massa polar atlântica em direção à região Sudeste, que passa a apresentar inverno mais quente que o habitual.

2. O que é inversão térmica? Por que esse fenômeno agrava o problema da poluição em áreas urbanas?
A inversão térmica é um fenômeno natural que geralmente ocorre nas primeiras horas da manhã, consiste na inversão de camadas na atmosfera: o ar frio fica abaixo e o ar quente, acima. Ao ocorrer em centro urbanos, impendindo a circulação atmosférica vertical, ela dificulta a dispersão do ar frio carregado de poluentes que está relativamente próximo do solo, agravando o problema da poluição.

3. Defina “ilha de calor” e efeito estufa.
Ilha de calor – fenômeno típico das grandes metropóles. Devido ao elevado índice de edificações e impermeabilização do solo, particularmente nas zonas centrais, ocorre maior irradiação de calor, o que eleva as temperaturas médias.
Efeito estufa – de acordo com pesquisas do IPCC e da ONU, é causado pelos gases que estão em suspensão na atmosfera que tem a capacidade de dificultar a passagem do calor, assim como também absorvê-lo, os principais responsáveis são o gás carbônico (dióxido de carbono)e o metano. Como consequência disso temos a manutenção da temperatura média global, essencial para manutenção do equilíbrio biológico da Terra, assim como sua maior concentração em alguns locais faz com que as temperaturas se elevem.

4. Explique o que é chuva ácida e quais são suas consequências.
A chuva é normalmente e levemente ácida. Portanto chuva ácida é aquela que tem uma elevação anormal de sua acidez, em decorrência da poluição atmosférica. Essa poluição pode provocar o surgimento de ácido sulfúrico, ácido nitríco, acido nitroso, dentre outros. Esse conjunto de ácidos, por conta de seu poder de corrosão, danificam as mais diversas construções, acidificam o solo, lagos, rios, dentre outras águas superficiais e podem chegar a matar algumas espécies animais ou vegetais.

DESENVOLVENDO HABILIDADES
1. Explique como esse mecanismo funciona (Mecanismo de desenvolvimento limpo – MDL).
Tendo sido proposto pela diplomacia brasileira, o MDL consiste em reduzir a emissão de poluentes atmosféricos por meio do combate ao desmatamento, geração de energia por fontes que emitam menos poluentes, modernização de sistemas de transporte e produção industrial, entre outras ações. A redução na emissão de poluentes pode ser utilizada como créditos de carbono negociáveis no mercado mundial.

2. Porque o cultivo de plantas que possam ser usadas para a produção de energia apresenta uma dupla vantagem ambiental?
O cultivo de plantas que possam ser utilizadas como fonte de energia em substituição ao óleo diesel e ao carvão mineral apresenta uma dupla vantagem ambiental. Ao mesmo tempo em que essas plantas – cana de açúcar, mamona, soja, etc – promovem a absorção do carbono da atmosfera para realizar fotossíntese, seu uso como fonte de energia é menos poluente do que o do uso dos combustíveis fósseis.

3. Em grupo, pesquisem e discutam sobre o tema: “O cultivo de plantas para a geração de energia pode comprometer a produção ambiental.
RESPOSTA PESSOAL. Mas devem ser utilizados argumentos que embasem o racíocinio lógico e científico.

Biomas (classificação vegetacional)

Classificação Vegetacional – por Wander Brenerson

Hoje em nosso blog temos a colaboração de um trabalho meu melhorado pelo Sr. Wander Brenerson. O mesmo traz melhorias a uma apresentação criada em postagens anteriores e com publicação cedida pelo próprio autor.

Atenciosamente,

O organizador do blog.

 

Alemanha. A Emergência de uma grande potência

Parte 1

 

Parte 2

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 152 outros seguidores